quinta-feira, 27 de abril de 2017

A Tempestade

beijos carinhos toques confissões fluídos paixões desejos sonhos
de
lama
não resistem à chuva.

essa é uma lição difícil de aprender quando não se está preparado
ou quando se tem vinte e poucos anos e um tormento chamado vida pela frente

flerto com o perigo de pensar
em
você
e em nós

sinto-falta-quero-voltar
pra mim
mesmo

por favor, me ajude a te perder
e quem sabe você será a saudade mais bonita que guardo

[mas não agora
jamais
agora]

quinta-feira, 30 de março de 2017

Sobre noites e manhãs

Não esconderemos nossa verdade
e então viveremos em solidão

Um peso enorme caminha junto comigo
Encontra-me em todas as esquinas
E em todas as memórias que guardo de nós

Você não sabe
Mas nosso alaúde nunca mais se comportou como antes

[alaúde, Usher, Poe, Béranger... Como eu gostaria de te mostrar tudo isso]

Não importa. Não estamos em um conto
Vivemos no mundo concreto
No qual todas as mãos são capazes de machucar
as suas
as minhas
as do amor

Vivemos em uma ruína
E não sou capaz de te proteger dos escombros.


quarta-feira, 29 de março de 2017

Você, amor

As lembranças do passado turvam os seus olhos
A sua pele
O seu riso
Dilaceram o tênue traço de felicidade que vive em nós
Cada momento é uma dor
Que floresce e morre todos os dias
[mas não completamente]

Costumávamos chamar isso de paixão
Não mais

Paramos para pensar
E esse foi o grande erro que cometemos
Disseram-me que todo final é um arrepio

Você, amor, é o meu.

sábado, 7 de maio de 2016

Sem Ana, Blues II

Mas bem sabes
Que o desejo é pela batalha
E não pela vitória
Pois essa é frágil como um segundo

Então eu cometi um grande erro
E a rotina se tornou uma nova coleção
de esperanças

abandonadas

Voltamos à nossa casa
Mas isso não faz um lar

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Pseudônimo

Todos são iguais na multidão. E ela? É a mesma moça descendo a rua. Seus olhos rodopiam, me encontram. Tomamos o caminho, tocou o alaúde. (Béranger. Ela sabia).
'Chinaski... É, é... Você se parece com ele'.
Paixão, medo, gostos, arte, planos. Tudo em meia hora.
'É a sorte, bebendo café e esperando'. Ela sabia.
'E então, qual é a sua história?'
Ah... Isso.
Bem
Prefiro que não me perguntem
Começou com saudades
e
...
e o resto é a tragédia de ficarmos juntos.

(Não disse?)

Um peso percorre o meu corpo.
Isso ela não sabia.
Isso ela não entendeu.
Mas, se soubesse, diria...
'está ao piano?'

domingo, 19 de outubro de 2014

Bauhaus

Limpe a mão
Era o que pensava quando a vontade de álcool lhe tomava a boca e raspava os dedos nos lábios
Ato inútil para saciar o desejo

[Todos temos algo para isso]

Também era o que pensava quando estava prestes a acabar com algo
Quem se lembra do que foi feito ou dito naquela noite?

[Ah, o último a sair fechou a porta suavemente].
[É, e ele cantava uma canção].

Nos outros dias, um chorou.
Nos outros dias, ninguém sorriu.
Todas aquelas conexões
Resumiam-se em mero acidente
Esperando para acontecer


O que todos sabiam é que cada um tem sua página favorita.
Você... Bem, você é a minha.

sábado, 13 de setembro de 2014

Descrição em partes

Ele morava no terceiro andar daquelas moradias de tijolos e janelas largas
Era assim que gostava de imaginar
A vista dava para o parque central, onde o mundo acontecia
Mas ele não
Assistia a todos os filmes daqueles que se aventuravam por aí
Mas estava preso a seus pensamentos
Acreditava que sempre havia uma mulher para salvá-lo da última
Ou melhor: alguém que lhe tomasse o dinheiro e vendesse companhia
“Aquelas notas de cem compram amor verdadeiro” é o que sempre dizia
Sua cabeça se concentrava nos clipes que nunca fez
Nas músicas que nunca compôs
Nas vidas que nunca viveu
Só tinha uma certeza: não se chega às nuvens com os pés no chão.
O que restava saber é se morreria antes disso tudo...

Foi-lhe dito: “isso daria um conto”

Mas ele nunca escreveu.